25/05/2008

ENCONTRO DAS AMIGAS DE RECIFE EM SP




(Ritz - Itaim)








(Restaurante Trindade)

Encontrar as antigas amigas(dida e xinha) é sempre inesquecível. Foi assim esses dias por aqui, além de compras para o Atelier, contatos de novos negócios e aulas(tô ansiosa, minhas aulas começam amanhã, daí post para vocês como foi por lá), fui conhecer alguns lugares bem legais, vou logo atualizando a agenda de programas de lazer de quem vem por SP.

Nessas 3 últimas fotos fomos almoçar no Trindade na Rua Amauri , no bairro do Itaim, a pedida de todas foi bacalhau uma delícia (...que me perdoe minha tia gigi que lá em Portugal faz um Bacalhau na nata, divino. Tia, to brincandoooooo, o seu é melhor viu????). Passamos a tarde por alí, um lugar lindo, melhor ainda o bate-papo com as amigas, muito blá blá blá e news sobre nossas vidas, rimos muitooooooooooo, sai de lá com a bochecha doendo de tanto falar.

Na 1 foto(mas especificamente ontem dia 24/05) foi o nosso programa do sabado. Quem vier por aqui se tiver oportunidade de fazer um programa super super legal, coisa que em Recife deixa muito a desejar vá assistir uma peça de teatro(por sinal, todas nós devemos protestar para em Recife ter mais peças de teatro legais, poxaaaa, isso é "Cultura")enfim, fomos assistir no Teatro Procópio Ferreira a peça OS HOMENS SÃO DE MARTE... E É PRA LÁ QUE EU VOU. Gente, não dá para perder, foi um programa nota 1000, interpretação da Atriz Mônica Martinelli.



Resenha da Peça (lê aí, é demais)

OS HOMENS SÃO DE MARTE...E É PRA LÁ QUE EU VOU! Teatro Procópio Ferreira
Espetáculo teatral que ficou em cartaz no Rio de Janeiro por dois anos, sendo sucesso estrondoso de crítica e público. Atualmente em cartaz em São Paulo. São mais de 500 apresentações e 300 mil espectadores.

Os Homens são de Marte... E é pra lá que eu vou! trata do grande dilema vivido pelas mulheres solteiras: a busca de um grande amor. Toda mulher já foi, é, ou será protagonista desta história de aventuras, encontros, desencontros, solidões, equívocos, adrenalinas, ilusões, alegrias, dúvidas.


A peça faz uma crítica ao comportamento e a certos valores da sociedade, é uma visão bem-humorada desta mulher do terceiro milênio: independente, bem sucedida e com dificuldades de encontrar um homem que saiba compartilhar esta liberdade. No mundo todo, livros, seriados, filmes e peças que tratam do tema fazem grande sucesso de crítica e público.
Os Homens são de Marte... e é para lá que eu vou! conta a história de Fernanda, 35 anos, solteira, jornalista formada, mas trabalha com eventos, organiza festas de casamento.
Fernanda está em busca do amor e se envolve tão intensamente com os vários tipos de homens que chega a ficar muito parecida com cada um deles, independente dos tipos físicos, das condições sociais, raciais ou econômicas. Cada homem que ela encontra pode ser seu grande amor, quem sabe? Fernanda se envolve com um político, um rico playboy, um alternativo do Sul da Bahia e um gay. O tempo que ela gasta com os homens daria para ter dado uma volta ao mundo e ainda ter estudado a história de todas as civilizações. A vida para ela sem um amor é uma vida em preto e branco.
Na verdade, a busca pelo amor pode ser uma oportunidade de aprendizado, mas para quem está solteiro não é assim, é castigo. Quem está solteiro quer encontrar um amor e ponto final, só não sabe como.
De uma forma muito divertida, mas também emocionante e com um final surpreendente, a peça fala do amor e da falta dele. Tudo isso com um tipo de humor que as mulheres são capazes de fazer muito bem: rir das suas próprias desgraças.

AMIGAS SOLTEIRAS(onde nesse caso, eu não me incluo) NUNCA É TARDE PARA ENCONTRAR UM GRANDE AMOR, e.... PAREM DE SER EXIGENTESSSSS, OXE!!

Beijocas
Bella Alves

2 comentários:

Anônimo disse...

Não vou negar que fiquei com inveja (da boa, claro!) ao ler o post de Bella sobre o encontro das amigas em São Paulo.

Em primeiro lugar, porque encontrar as amigas, e especialmente as minhas amigas, é tudo de bom! Diversão garantida, sabe?

Em segundo lugar, porque o encontro se deu em São Paulo, cidade que eu amoooo e da qual sinto muitas saudades.

Xinha, Dida, Carol e Fabiana são amigas que moram no meu coração, independente do lugar em que residem :)

E vc, Bebel, sabe que é mais do que uma amiga. É uma irmã!

Te amo muito!

Beijos,

Q.

natasha disse...

Amigaaa,
ja ja tu chega aqui, ai te encho de programinhas legais tb, morrendo de saudadesss,
beijaoooo
PS: Bellll, tu nem foi e ja to sentindo falta, aiiii nao....